Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Brasil vira página após tropeço na Liga das Nações e busca vaga para Tóquio no Pré-Olímpico
Seleção encara Porto Rico, Egito e Bulgária por uma das 12 vagas do vôlei masculino nos Jogos de 2020
12:59   09 de Agosto, 2019
491f6f4a92f16c232401923b3cb5819f.jpg
Foto: FIVB

Por Helena Rebello e Marcelo Courrege — Varna, Bulgária

Os três jogos mais importantes do ciclo de Tóquio 2020 até agora serão disputados neste fim de semana. No Palácio de Cultura e Esportes de Varna, na Bulgária, o Brasil compete pelo Grupo A do Torneio Pré-Olímpico e enfrenta Porto Rico, Egito e Bulgária para garantir uma das 12 vagas do vôlei masculino nos Jogos. O primeiro desafio será contra a seleção portorriquenha, nesta sexta-feira, a partir das 11h (de Brasília). O SporTV transmite ao vivo, e o GloboEsporte.com acompanha todas as emoções em Tempo Real.

O Japão já está garantido nos Jogos por ser país-sede. Seis vagas serão distribuídas através do Pré-Olímpico, enquanto as cinco restantes serão para os vencedores dos torneios continentais. Para evitar uma pressão ainda maior, o ideal é fazer valer o favoritismo agora. O Brasil é líder do ranking mundial, enquanto os adversários estão bem abaixo na lista da Federação Internacional (FIVB): os africanos estão em 12º, os europeus em 13º, e os caribenhos em 24º lugar.

- Quando chegamos aqui na Bulgária, a primeira coisa que nós falamos é que os Jogos Olímpicos já começaram. É a primeira etapa dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Lá é a segunda etapa. Nós temos que passar e passar bem por aqui. A Bulgária é uma seleção extremamente perigosa, assim como Porto Rico e Egito, mas eu nao tenho a menor dúvida que o fator casa é importante, ajuda, motiva. Acho que que é um jogo aberto. O Brasil tem qualidade e expêriencia para suportar tudo isso – avaliou o técnico Renan Dal Zotto.

Num momento tão delicado da temporada, Renan vai usar uma formação tão experiente quanto possível neste primeiro momento. A exceção será a dupla de centrais, já que os campeões olímpicos Maurício Souza e Lucão estão em fase final de recuperação e devem ser poupados até ao menos o confronto com a Bulgária. Vice-campeão mundial no ano passado, Isac terá a companhia de Flávio. O central do Minas se destacou na última Superliga e foi uma das caras novas na Liga das Nações. Foi bem avaliado e será nova chance em Varna.

- Esperar eu não esperava, mas vinha me preparando para isso, para quando a oportunidade aparecesse eu pudesse aproveitar da melhor maneira, mostrando meu trabalho. Isso é construído no dia a dia, nos treinamentos, na convivência, nas viagens. Eu continuei fazendo isso, apareceu a oportunidade, e agora é aproveitar o máximo possível – disse o jogador.]

Para a estreia, o Brasil deve ter em quadra, além dos centrais citados, Wallace e Bruninho, com a linha de passe formada por Thales, Mauricio Borges e Lucarelli. MVP do torneio amistoso Wagner Memorial, disputado na Polônia na última semana, Leal começará no banco. A intenção da comissão técnica é manter uma composição que equilibre melhor o fundamento para que o Brasil não sofra como na Liga Mundial, em que o país perdeu três jogos seguidos e ficou fora do pódio.

Dos adversários deste fim de semana, a Bulgária é o que mais inspira cuidados. Será o único confronto do Brasil no horário nobre do evento (no horário local) e tem previsão de arquibancadas lotadas. Como terão que disputar uma dura repescagem europeia caso não consigam a vaga agora, os anfitriões querem fazer valer o fator casa.

- É um time que é muito perigoso. Joguei com o Sokolov esse ano e sei que ele pode vencer partidas. Com certeza eles estão apostando tudo jogando em casa nesse Pré-Olímpico. Então é um time muito perigoso. De repente na continuidade de um ciclo não aparece tanto, mas num dia bom eles podem vencer qualquer equipe do mundo. A gente tem que estar muito focado, muito concentrado, porque é um time muito forte, muito grande no bloqueio – analisou Bruninho.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte