Jornal MT Norte
Publicidade
Vasco pede anulação de partida
Clube diz que falha técnica em VAR que não anulou gol do adversário é "inadmissível"
09:36   15 de Fevereiro, 2021
0c7b53df091b49693729db645d3634c4.jpg
Foto: Ricardo Duarte

GE

Em jogo bastante polêmico, o Internacional venceu neste domingo, 14, o Vasco por 2 a 0 em São Januário (RJ), com gols de Rodrigo Dourado e Thiago Galhardo, e se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro, restando somente mais duas rodadas para o término da competição.
O lance que gerou mais burburinho foi o gol marcado por Rodrigo Dourado, já que, segundo o próprio jogador, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza teria dito a ele que o VAR não estaria conseguindo usar as linhas para verificar um suposto impedimento. A situação gerou muita reclamação por parte do Cruzmaltino.
Tão logo terminou o jogo contra o Internacional em São Januário, o Vasco anexou um ofício à súmula da partida informando que vai pedir a anulação da partida por falhas no VAR. Segundo o texto, assinado pelo presidente do clube, Jorge Salgado, a falha no funcionamento da câmera que serviria para analisar o primeiro gol do Internacional, em que havia suspeita de impedimento, "feriu de morte a lisura da partida".
O clube também confirmou a informação publicada pelo jornalista Lucas Pedrosa, nas redes sociais, de que foi pedido à Vasco TV que retirasse a câmera (do clube) que cobria a linha de impedimento. Segundo o clube, cerca de uma hora antes do início da partida, uma pessoa em nome da equipe do VAR pediu para que a Vasco TV não usasse aquela câmera durante o jogo, para que não tivesse uma imagem que não poderia ser analisada pelo VAR, uma vez que o equipamento usado pelo VAR estava descalibrado.

O programa que determina a posição das linhas na imagem do VAR não funcionou, e o lance foi validado pela decisão de campo do árbitro Flávio Rodrigues. A CBF avisou que vai se posicionar após o jogo.

Após Dourado desviar de cabeça para as redes, Flávio Rodrigues esperou a análise do VAR para validar o gol colorado, já que havia suspeita de impedimento. No lance, Moisés cobrou falta para a área do Vasco, e o volante subiu para cabecear. A dúvida era se o colorado estava à frente dos marcadores.
No momento da análise das imagens, a equipe que comanda o VAR percebeu um problema com o programa que traça as linhas no vídeo e determina se o lance estava ou não irregular. Com o erro na tecnologia, a decisão foi de Flávio Rodrigues, sem a ajuda da cabine.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte