Jornal MT Norte
Publicidade
Fluminense empata mantém vantagem na semi do Carioca
Na Ilha do Governador, Chay e Abel Hernández, ambos de pênalti, marcaram os gols no empate de 1 a 1
09:05   03 de Maio, 2021
909c0b4f38db2b2561264c10c3b43cc8.jpg
Foto: MAILSON SANTANAFLUMINENSE FC

Com nove titulares poupados, o Fluminense empatou com a Portuguesa, por 1 a 1, no primeiro duelo pela semifinal do Campeonato Carioca, neste domingo, no Estádio Luso-Brasileiro. De pênalti, Chay e Abel Fernández marcaram os gols na Ilha do Governador. O Tricolor, que, no próximo domingo, às 16h, no Maracanã, joga pelo empate para avançar à final, teve como destaque o goleiro Marcos Felipe e o promissor Gabriel Teixeira.
De olho no compromisso contra o Junior Barranquilla, da Colômbia, quinta-feira, no Metropolitano, pela Libertadores, Roger Machado confirmou apenas dois titulares na semifinal: o goleiro Marcos Felipe e o lateral-esquerdo Egídio, que cumprirá suspensão em Barranquilla. 
Com a vantagem do empate, o treinador vislumbrou a chance de aumentar a rodagem de peças como Sérgio Xavier, Manoel, Matheus Ferraz, Hudson, Ganso, Cazares e Abel Fernández.
Embalada pela melhor campanha no Carioca em seus 97 anos, a Portuguesa mostrou a razão de ter deixado concorrentes como Botafogo e Vasco para trás e garantido a inédita classificação. E não foi preciso a ajuda do conhecido 'vento uivante' no Luso-Brasileiro para abrir o placar. A mãozinha veio de Ganso, literalmente. Na estreia do VAR na competição, o árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus, após quase cinco minutos de análise, confirmou o toque de mão do camisa 10. Com categoria, Chay converteu a cobrança, aos 14.
A falta de entrosamento não ajudava o Tricolor, assim como o alto gramado na Ilha do Governador. Mas, aos poucos, as oportunidades foram criadas. Abel Hernández perdeu duas após as boas jogadas do garoto Gabriel Teixeira. Na primeira, quase isolou a bola do estádio. Na segunda, tentou uma cavadinha sem sucesso. No fim do primeiro tempo, Neguete desviou outra tentativa de Hernández e, na sequência, Watson salvou a finalização de Ganso quase em cima da linha.

A esperada reação após o intervalo demorou a acontecer. A Portuguesa quase aumentou a vantagem com Chay, que parou na boa defesa de Marcos Felipe. Após o susto, o alívio veio após a confirmação, via VAR, do pênalti no toque de mão do zagueiro Diego Guerra. Firme na batida, Hernández empatou, aos 11. 


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte