Jornal MT Norte
Publicidade
Injeção de energia
Ferrari apresenta sua nova berlineta 296 GTB, com motorização híbrida plug-in de até 830 cv
10:29   02 de Julho, 2021
f05fb97e3942856b9520f035035ce916.png

Auto Press/ Carta Z Notícias

A Ferrari resistiu um pouco, mas finalmente está reconhecendo que a ajuda de motores elétricos pode ser bem-vinda. E apresentou neste final de junho o cupê de dois lugares 296 GTB, que classifica como uma redefinição do conceito de diversão ao volante. Segundo a marca, o 296 GTB, acrônimo de Gran Turismo Berlineta, é conceitualmente revolucionário para a marca e funciona bem tanto na busca dos limites esportivos quanto no uso do dia a dia.

                Mesmo descontando as expressões ufanistas, normais em lançamentos automotivos, a nova berlineta é mesmo diferente do que a Casa de Maranello vinha fazendo até aqui. O modelo usa um motor 3.0 litros V6 a 120º, modesto para os padrões da marca – é o primeiro Gran Turismo da marca com um motor V6. Mas não fica devendo nada em relação à potência: ele é capaz de gerar 663 cv, combinado com um motor elétrico que adiciona 167 cv ao total, o que resulta em 830 cv, liberados com um som rascante e taquicárdico e um torque impressionante de 75,5 kgfm aplicado apenas nas rodas traseiras, controlado por um diferencial eletrônico. O conjunto é gerenciado por uma transmissão de dupla embreagem de oito velocidades.

                Esses valores, aplicados a um esportivo que pesa apenas 1.470 kg, gera um desempenho impressionante. O zero a 100 km/h é feito em 2,9 segundos, zero a 200 km/h, em 7,3 segundos e a máxima é de 330 km/h. Além de acelerar, o 296 GTB também freia com muita eficiência. A desaceleração de 200 km/h a zero é realizada em 107 metros – o que ocorre em cerca de 2 segundos. O sistema de freios é comandado eletronicamente e conta com pinças flutuantes com grande fluxo de ar para um resfriamento mais eficiente.

                O baixo peso do modelo foi obtido com a racionalização máxima na construção do modelo. O modelo conta com apenas um motor elétrico, para poder economizar cerca os 30 kg de um segundo motor. O chassi, obviamente, é em fibra de carbono e o modelo tem opcionais como rodas em fibra de carbono, 8 kg mais leve e uma cobertura traseira 15 kg mais leve, entre outros. O sistema híbrido plug-in é capaz de entregar uma autonomia de 25 km no modo puramente elétrico também por conta do pequeno pacote de baterias. Mas isso não chega a ser uma limitação importante, pois a verdadeira função da motorização elétrica é mesmo incrementar o desempenho do 296 GTB.

                O novo motor V6 central traseiro traz dois turbos instalados entre as duas bancadas de cilindros, no vértice do “V”. Segundo a engenharia da Ferrari, esta organização reduz o volume total ocupado pelo propulsor, rebaixa o centro de gravidade e ainda em melhora na produção de potência. Tanto que é o motor da Ferrari com maior potência específica aplicado em um carro de produção, com 221 cv por litro.

                Outra inovação do 296 GTB, é o uso de um dispositivo aerodinâmico ativo usado não apenas para gerenciar o arrasto, mas para gerar downforce extra. O spoiler traseiro, inspirado no usado no hiperesportivo LaFerrari, integrado ao para-choque, permite que a nova Berlineta eleve o nível de downforce de um equivalente a 100 kg para 360 kg ao atingir 250 km/h, quando configurado com o pacote Assetto Fiorano – na tradução literal, arranjo de flores. Para garantir eficiência no fluxo de ar para gerar o downforce traseiro, o desenho do teto foi desenvolvido em túnel de vento de forma a criar uma espécie de carenagem virtual, que canaliza o ar para o spoiler ativo.


 

Compartilhe nas redes sociais

COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte